Medição, informação e a Gestão da Qualidade

Receba Nossa News

Os conteúdos mais legais sobre metrologia, semanalmente em seu e-mail

Todos os dados inseridos aqui, estão resguardados pela Política de Privacidade da ForLogic, totalmente adequada a LGPD e ISO 27001 (Segurança da Informação).

Neville Fusco

Neville Fusco

A matéria prima para que possamos realizar uma gestão da Qualidade e o controle de processos é a informação. A coleta de dados e a busca por informação é algo inerente a uma sociedade global e moderna. O processo de coleta de dados e busca por informações é realizado através de medições, seja essa feita por um instrumento de medição, no uso de indicadores de performance, na avaliação de eficácia de treinamentos ou na obtenção de um diagnóstico médico. 

Mas, um conceito muito importante que passa despercebido pela maioria das empresas é a validade e a confiabilidade desses dados e informações, isto é:

Podemos confiar que a medição representa o que queremos medir? 

A medição é o processo pelo qual obtemos dados e informações sobre processos, produtos, sistemas e pessoas. Os resultados de medições são pedaços de informações que usamos para perceber o mundo à nossa volta e a partir dessas percepções tomar ações e decisões. 

Neste artigo vou apresentar a importância de entendermos a medição como um processo, a qualidade e validade da medição e seu impacto para a gestão da qualidade e a busca pela melhoria contínua de produtos e processos. 

A medição é um processo

A norma ABNT NBR  ISO 9001: 2015 apresenta o conceito de abordagem de processo, mas não é comum relacionarmos esse conceito às medições. Na maioria das empresas a medição é entendida como uma atividade dentro de um processo de manufatura ou gestão. 

A medição é um processo e não uma simples atividade dentro de um processo. Precisamos entender isso claramente e garantir que esse processo funcione e entregue resultados de qualidade; isto é, informações (resultados de medições) válidas, confiáveis e que nos permita tomar decisões assertivas e ações realmente efetivas. 

A saída de um processo de medição é o resultado de medição que pode ser afetado por diferentes fontes de variação, tais como:

  • Conhecimento e habilidade do operador; 
  • Condições ambientais durante a realização do processo de medição; 
  • O procedimento de medição ou método de coleta dos dados;
  • A definição clara e objetiva do que se quer medir (mensurando); e 
  • Pelo instrumento de medição (quando aplicável). 

 São exemplos disso quando utilizamos um instrumento inadequado à tolerância de um processo ou produto, quando definimos um intervalo de coleta de um indicador que não perceba a dinâmica do processo, quando ignoramos a incerteza de medição e a variabilidade natural de processos, estamos obtendo informações que podem ser potencialmente inúteis, gerando problemas ou retrabalhos desnecessários. 

A norma ABNT NBR ISO10012 – Sistema de Gestão de Medição apresenta uma visão completa e adequada para tratarmos a medição como um processo e estabelecer um sistema de gestão de medição, considerando aspectos metrológicos e sua relação com a qualidade de produtos e controle de processos.

O impacto na gestão 

Agora que entendemos que medição é um processo que deve gerar resultados válidos e confiáveis, precisamos avaliar qual o impacto quando esses resultados de medições não são válidos e confiáveis. Medições ruins geram percepções erradas sobre o que queremos medir e isso é um problema real e com um impacto difícil de mensurar. 

Medições de “baixa qualidade” geram informações erradas, e essas informações são usadas para aceitação ou reprovação de produtos, avaliação do desempenho de processos, identificação de causas comuns e causas especiais de variação, declaração de conformidade de produtos, definições de estratégias para o negócio, comparação entre resultados e entre outras decisões. 

Ao realizamos uma medição ou o processo de medição, corremos o risco de obtermos como resultado uma falsa aceitação ou uma falsa rejeição. E esse risco será maior quanto mais baixa for a qualidade do processo de medição utilizado; além da capacidade de avaliar esse processo e usar esses dados de forma efetiva ficar prejudicada.

Outro aspecto relevante é o impacto econômico. Qual o custo de uma informação errada? Certamente não é um custo simples de mensurar e que muitas vezes não é percebido pelas empresas. O custo do processo de medição ou de obtenção de informações está relacionado ao custo total de processo. 

O custo total de um processo é a soma do custo do processo e o custo da medição ou inspeção (obter informações para avaliar a conformidade ou qualidade). Mas o que precisamos entender que aumentamos o custo do processo ao menosprezar o custo da medição. Seu custo de processo aumenta com medições de baixa qualidade e informações que levam a decisões ruins e ações sem efetividade. 

Não existe gestão da medição sem gestão da qualidade.

Um sistema de gestão de medição eficaz é a base para que uma empresa obtenha informações válidas e confiáveis na busca pela qualidade, produtividade e lucratividade do negócio.  Um sistema de gestão da qualidade não está completo sem um sistema de gestão de medição que forneça uma matéria prima (dados e informações) de qualidade. Precisamos parar de tratar a medição de forma amadora e simplista.

E você conhece a qualidade de seus processos de medição e confia nas informações geradas em seu sistema de gestão da qualidade? 

 

Idealizado por Forlogic | www.forlogic.net
Saiba mais sobre qualidade em https://ferramentasdaqualidade.org/
Conheça nossos softwares:
Gestão da Qualidade https://qualiex.com/ | Gestão da Metrologia https://metroex.com.br/

Sobre o autor (a)

Deixe um comentário

Blog da Qualidade

Artigos relacionados

Publicidade

Conheça nossos canais

Conheça o que CEOs e especialista nos assunto estão fazendo para desenvolver as estratégias de suas empresas

Qualicast - O Podcast da QUALIDADE

Qualicast

Nosso canal no Youtube

Planejamento Estratégico - Parte 02Planejamento Estratégico transmitido 21 de jan de 2021.